Uma Triste Realidade

Infelizmente não é de hoje que venho falando isso, na realidade minha primeira experiência com isso ocorreu em 2007, quando fui em Fortaleza ministrar um evento gratuito, onde tinham 220 inscritos e só apareceram 100. De 2007 para cá muita coisa mudou, mas este tipo de comportamento não mudou, pelo contrário, parece que só piora. A pouco tempo, conversando com um Professor de uma grande Universidade em Fortaleza, ele me disse isso:

Professor

Leia bem isso…leu? Leia de novo, pois isso é TRISTE!!  O que pensar de profissionais, ou estudantes que se inscrevem para ir em um evento (tirando a vaga de outras pessoas que porventura queriam comparecer) e nem sequer aparecem? Você pode trazer qualquer tipo de desculpa aqui: o pneu furou, o trânsito tava ruim, alguém da família morreu, etc. Mas o fato é que isso não ocorre só uma vez, isso ocorre constantemente. Desta forma fica muito complicado acreditar em tanta desculpa.

Infelizmente existe uma tendência muito grande de se reclamar do atual cenário, da crise, da falta de oportunidades no trabalho, da falta de investimento do patrão, mas é justamente em momentos como esse que vemos as prioridades de cada um. Uma palestra é uma OPORTUNIDADE de aprender algo. Se inscrever e não ir é um desrespeito a instituição que organizou o evento, e principalmente ao palestrante, que está usando uma parcela importante do tempo dele (e tempo é dinheiro) para compartilhar o conhecimento.

É importante salientar que este problema não é só em Fortaleza, tive a mesma experiência em Recife e Natal (em diferente ocasiões). E o problema é a disparidade, tipo: se 100 se inscreveram, geralmente só aparece 40. A disparidade é algo absurdo, digo isso pois aqui nos EUA, quando existem eventos gratuitos, eles lotam! Aqui em Dallas já fui para vários eventos gratuitos, e a maioria lota, fica fila de espera. A pergunta que fica é: por que será que isso ocorre? Será que existe uma questão maior de respeito? Se eu me inscrevo eu estou dando minha palavra que vou? Seria uma valorização do tempo da outra pessoa? Seria o simples fator de ser educado? Seria uma maior sede de aprendizado? É difícil responder essa pergunta com precisão, mas é algo para refletir.

Por fim, vou compartilhar um vídeo que gravei que toca um pouco neste assunto, principalmente na parte do investimento em educação, e como você deve assumir o controle sobre isso:

Lembre-se: se você não acredita que investir em sí próprio é o caminho para melhorar sua carreira, não espere que seu patrão invista em você para melhorar a qualidade do seu trabalho.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

13 respostas para Uma Triste Realidade

  1. Gustavo Valle disse:

    É lamentável Yuri mas eu só fico triste pelo professor (organizador) e pelos palastrantes.
    Pra galera que não vai, paciência. Eu costumo dizer, TI é uma das poucas áreas/profissiões, que há uma receita de bolo pra ser bem sucedido: Estudo/Certificações + Experiênica + Inglês. Tendo isso, sendo um profissional ético, você não fica sem emprego – isso quando você não escolhe onde trabalhar (se o cara não for uma planta e não quiser ficar enraizada em um local). Muita gente quer tudo na mão, não pesquisa, não estuda, não paga um curso e não investe em si mesmo. Isso quando não estão reclamando ou se vitimizando.

    Não tenho pena não, conhecimento está ai e feliz de quem sabe usá-lo a seu favor!
    Abraço!

  2. Yuri Diogenes disse:

    Perfeito Gustavo, obrigado pelo comentário e concordo contigo.

  3. George de Almeida Menezes disse:

    Yuri, em 2016 organizei um evento em Salvador (www.govstorming.com.br) no qual o principal objetivo era prática entre analistas e gestores, quanto as boas práticas (mão na massa) de governança de TI. Ao todo foram 200 inscritos, depois de passar a peneira ficaram 107 e só compareceu 35. Uma total decepção da minha parte porque havia parceiro envolvido para arcar com os custos de um evento de dia inteiro em um espaço para 100 pessoas, com toda infraestrutura de auditório. A lição que eu aprendi foi que nada de graça tem graça. É preciso cobrar caro,

  4. Yuri Diogenes disse:

    Incrível, George. Isso é deprimente e frustrante para quem teve o trabalho de organizar tudo.

  5. Yuri, entendo exatamente o seu sentimento. Eu também organizado/ participo eventos de TI aqui em Salvador, teve evento que chegou os 300 inscritos, achei que ia lotar, não foram nem 1/3.

    • George de Almeida Menezes disse:

      Fala garoto… Estive em um dos seus encontros na FIB, se bem me lembro, o evento chegou a mudar de sala por conta da quantidade de inscritos, Na hora do evento, bem menos do que o esperado. É sempre assim.

  6. Yuri Diogenes disse:

    Pois é George, é SEMPRE assim 😦

  7. Yuri Diogenes disse:

    @Achilles – é lamentável que tal comportamento seja tão normal em todo o Brasil.

  8. Rosivelt disse:

    Yuri, ano passado (2016) houve o Zabbix on the road com muitos palestrantes com muita experiência para nos passar e muitos inscritos também. Me desloquei do interior 400km para o evento, porém apenas cerca de 30% dos inscritos compareceu. Realmente, perdeu quem não foi.

  9. Rosivelt disse:

    O evento Zabbix foi em Fortaleza.

  10. Yuri, estou querendo caminhar pela área de segurança (hoje sou de infra), seguindo o caminho de compliance. Quais certificações você recomenda? Security+ seria um bom começo? CISA? Quais você sugere?

  11. Flavio Ferreira disse:

    Yuri, e isso acontece aqui no interior de Minas Gerais também. Minha vida profissional inteira ouço falar que aqui na região não tem boas palestras, que as novidades não chegam por aqui, etc.
    Quanto fiz alguns contatos, adquiri um pouco de conhecimento comecei a fazer algumas palestras e a organizar alguns eventos. O cenário é o mesmo. Ja chegei a fazer um evento para 200 pessoas (quem organiza evento sabe o trabalho que dá) e foram 18. Sem falar em outros e outros que organizei por aqui e a media de presença é de 30% também.
    E aí eu te pergunto? Como realizar um evento com grandes nomes do nosso meio e quando eles chegarem aqui se depararem com 20 ou 30 pessoas? Acaba sendo desmotivante para o palestrante. Você concorda?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s